ball jointed alice

BALL JOINTED ALICE – Uma história de amor e morte é o segundo romance da autora Priscilla Matsumoto e foi publicado pela Editora Draco.

BJA - Capa OficialSexy. Emotiva. Humana. Essa é a história da boneca Alice.

Frank é um homem sem esperança nenhuma. Um punk com um passado insano que, numa manhã de ressaca, acorda com uma boneca lhe desejando bom dia. Ele sabe bem quem é essa boneca e como ela se chama. Alice é uma ball jointed doll criada por Frank em seu projeto mais ambicioso: recuperar as memórias e os sentimentos por uma louquinha de mesmo nome. Mas ao tentar puxar a linha da lembrança do embolado novelo que é o passado, Frank acaba puxando a linha da tragédia. Acompanhado por seus antigos companheiros de hospício: a gothic lolita Tay, o estudante de direito Shin e a sociopata Emi, ele se envolve em um plano de vingança contra o hospital que os massacrou a alma e levou Alice à morte.

Ball Jointed Alice – Uma história de amor e morte é um sensível romance de Priscilla Matsumoto. Flutuando entre a melancolia e o erotismo, esse é um relato cru de uma juventude cínica que parece perdida, mas que sabe demais sobre a natureza do mundo para não desistir dele.

Compre BALL JOINTED ALICE – UMA HISTÓRIA DE AMOR E MORTE:

E-book: Kobo / Travessa / Amazon / Apple


RESENHAS:

“Caindo no buraco do coelho. Foi assim que me senti lendo Ball Jointed Alice. […] Priscilla Matsumoto é para mim uma Escritora, com E maiúsculo. Sua obra é Literatura, daquelas grandes. Daquelas que se debruçam sobre a essência do ser humano, daquelas que abrem as veias e deixam correr o sangue, do tipo que não se entende, só se sente.” – Kássia Monteiro (leia a resenha completa)

“A escrita de Priscilla Matsumoto é visceral, mas também lírica. Numa estrutura que não tem nada de linear e nada de tradicional, somos atirados na mente de Frank e vamos puxando, junto com ele, os fios que levam a quem realmente somos. […] Não é uma leitura fácil. Mas é uma leitura fluida. Requer um esforço do leitor entender a lógica das lembranças de Frank, mas a autora conseguiu criar uma empatia tão grande com seu protagonista, que eu me vi absorta por aquele universo e li o livro em dois dias. Chorei e sorri com essa história. E depois chorei de novo.” – Livros de Fantasia (leia a resenha completa)

“Estava empolgada para ler o livro. E agora, livro lido, não estou querendo mais história, a história está completa, cheia e tão bem alojada dentro de mim que vai levar um tempo até poder ler algumas das outras que me esperam na estante. Já abri uns três livros e não consigo passar da primeira página ao perceber que falta o artista por trás das letras. Não são livros ruins, Priscilla é que é boa demais. Vou ainda chorar um pouco o vazio de Frank, por dentro, embaixo da cama, no escuro.” – CLAUDIADU (leia a resenha completa)

“Realmente recomendo, mas desde já aviso, se quiser mergulhar em sombras, loucura, morte e amor, é o livro certo, mas não pense que será fácil, pois nos carrega de emoções conflitantes, tristeza e, no fim, esperança. Até agora estou meio espantada, pois nunca havia lido algo parecido, a autora realmente soube criar um mundo perfeito (na medida de sua imperfeição) e nos surpreender.” – Leitoras Vorazes (leia a resenha completa)

“Realidade, sonho e pesadelo se misturam. Deixando protagonista e leitor sem chão, desconfiando de tudo. Quem viu o anime Perfect Blue consegue ter uma boa ideia do que se trata.Dois nomes que não me saíram da cabeça enquanto eu avançava na trama foram Philip K. Dick e Kafka. O pesadelo da paranoia. O maior mérito da autora foi saber dosar momentos de ação, o drama dos personagens sendo exposto, por meio de descrições e diálogos, e momentos de digressão, principalmente, de Frank, o narrador. Ela faz essa dobradinha com muita fluidez e uma poesia dura, de impacto. Além de lançar ideias sobre a vida e o mundo bem consistentes, iluminadas.” – ricardoescreve (leia a resenha completa)

Ball Jointed Alice é mais sobre o mundo que se passa em nossa cabeça do que qualquer outra coisa, sobre o real e o abstrato, a loucura e a lucidez […]. Não é um livro para qualquer pessoa e, no final, há aquele sentimento de confusão, não que isso seja ruim. Talvez desagrade àquelas pessoas que gostam de todas as coisas esmiuçadas, mas ainda assim é uma boa leitura.” – Roendo Livros (leia a resenha completa)

“[…] Priscilla nos abre cada uma das pessoas e disseca suas mentes para nós. Me dei conta de que me lambuzava de tais informações assim como Frank dos corpos de seus amigos, com a mesma excitação e desejo. Senti, inicialmente, que montava um elaborado quebra-cabeça, tendo como centro a doença psicológica de cada um, mas, assim como no jogo, chegou um ponto no qual cada parte ia se mesclando e encaixando com as outras. Passei das relações individuais, para relações de trios e quartetos de personagens e quero acreditar que isso surgiu de modo orgânico, uma vez que os personagens pareciam vivos demais para poderem estar seguindo um script restritivo.” – Meia-Lua (leia a resenha completa)

“Alguns livros permanecem no imaginário do leitor por muito tempo depois de virarmos as últimas páginas e devolvê-los à estante. Alguns livros te despertam sensações tão fortes que uma pausa durante a leitura para retomar o fôlego é imprescindível. Alguns livros não são nada daquilo que parecem ser, são muito mais. E tudo isso se aplica à obra de Priscilla MatsumotoBall Jointed Alice.” – Valkirias (leia a resenha completa)

“Mas essa é a grande jogada de Ball Jointed Alice: uma história de amor e morte, cair em uma narrativa sem rótulos, onde nós temos a liberdade de estabelecer nossas próprias conclusões sobre as incertezas propostas por Priscilla Matsumoto. Um universo enigmático que nos tira do mundo real para nos colocar em um mundo fictício que em muito se assemelha com a realidade.” – Cabana do Leitor (leia a resenha completa)

“O leitor não sabe quem conseguirá escapar das garras da Rainha de Copas, e quem terá sua cabeça cortada, mas sabe que o sentimento dos personagens é verdadeiro, e que o livro todo trata de amar e ser amado, de todas as formas possíveis, sobre a verdadeira natureza do mundo em que vivemos e de como sobreviver a tudo isso.” – Coisas que eu sei que sei (leia a resenha completa)

“A escrita da Priscilla me surpreendeu de forma inigualável, eu não esperava tanto do livro, mas a cada frase que eu lia me senti mais perplexa com o seu talento de brincar com as palavras e com o peso de cada uma das palavras. Se você quiser ler algo diferente e desafiador, Ball Jointed Alice é uma boa pedida, porque eu mesma nunca tinha lido algo parecido e foi um livro que, com certeza, superou minhas expectativas e me fez sair da minha zona de conforto.” –Delírios literários da Snow (leia a resenha completa)


Leia também OS CADERNOS DE FRANK no blog:

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s