ÍCARO

A noite toma minhas veias com a fúria dos ventos
Ela é como um cadafalso
Ela, a noite
E ela, meu sol

A brisa toca minhas costas
E nada mais no meu céu se compara ao meu sol
Uma nuvem, algumas outras estrelas menores
Talvez um satélite obscuro
Mas o raio dourado do dia na noite
Somente pende da cabeça dela, meu sol

E me atinge de forma a me tornar cinzas
E eu queimo como quem nasce
E eu choro como quem ama
E eu amo como quem voa
Para o sol
Ela, meu sol

Se o céu clarear
refletindo seu brilho em minhas asas queimadas
Eu sei voltar pra casa
Um pouco destroçada
De alma carbonizada
E mãos ensanguentadas
Mas levitando na brisa gelada
Do caminho da sombra
Do caminho sem sol…

Cala minha voz de manhã
Pois o sol já brilhara na madrugada
Meu sol, minha paixão, minha musa, minha estrada
Eu, Ícaro-abandonada, desalada
Caio por terra
Sou seu fogo no chão.

(2008)

Imagem: http://bloodonmyfangs.deviantart.com/art/Angel-With-Black-Wings-86279333

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s