R.I.P. ME (rip me)

Hoje eu me matei
Daquele jeito que eu mais gosto, com sangue e dor
Lâminas – ah, lâminas!
Ah, esse veneno tarja preta também seria bom
As pílulas roxas que eu guardo pros meus dias de vala mental
De valsa mental, de sonho juramentado
Eu quero mesmo que minhas mãos tremam e não aguentem o peso do celular
Maninho, eu não sei te dizer
Onde vivem os monstros
Eu sei que os como no café da manhã
E que foram presentes seus
Maninho, sou só eu espremida no meio da minha vida
Pedindo mais ansiolítico nas minhas veias
Comprimidos roxos, mãos azuis
Maninho
Vamos morrer devagarinho
Vamos olhar pra dentro das nossas pálpebras e gritar já sem voz
Hoje os monstros não têm nome
Eles não podem me forçar a provar o mel da vida
Eles me fazem pensar que a morte é banal
O que importa é o sono
Eu me matei porque o mundo pensa que eu sou imbecil e eu sou
Um de cada vez, Dra. Morte
O Sr. Suicídio
Vêm chegando
Com alegria
Ficcionalmente
De verdade,
Oferecem a liberdade que ninguém quer

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s