2h59

Vamos dormir
A noite não nos pede uma
mente tranquila
A noite quer que pensemos
um no outro
Como se o teu rosto não
pertencesse ao sol
Como se o meu corpo não
fosse casado com a brisa da tarde
Vamos dormir, porque é
dormindo que não
pertencemos
Tu e eu nos aborrecemos
com o fim do dia
Porque cada claridade que
finda é um dia perdido para
a morte
Não só isso
É a distância entre o teu
sorriso e o meu corpo
É um eu entregue que
queima, louco
(Eu sou a rosa de Julieta)
Meu querido, boa noite.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s