SEREIA

Odeio você e odeio todo o resto.
Odeio as ruas que escoam pelas janelas do ônibus
Na verdade, veio como um canto baixo
Mágico
Marinho
Essa coisa que me faz
despersonificar o odiar
Eu conheço o limite
Conheço o abismo
Eles se formaram bem antes
da criação que mora no meu peito
Porque eles não têm defeito
(Nem eu. Ah, meu Deus, eu não acredito nisso!)
E eu me lancei pelas bordas
Eu conheço os limites
entre as coisas
Eu sei diferenciar
um porco de uma cadeira
Eu sei analisar os sons que
são emitidos por mim, pelo meu corpo
(o choro)
Eu sei observar aqui da borda
Vendo meus olhos
Ouvindo meu estômago
Digerindo
Revolucionando
Evoluindo
Morrendo
É só o meu estômago

Que me faz odiar.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s